Apresentando: Natasha Santana, produtora


Em entrevistas de emprego, Natasha se apresenta como versátil, dinâmica e empreendedora. Hoje ela tem sua própria produtora: é sócia da 3lhamas ao lado de Joel Souza (que já foi apresentado por aqui). Coleciona boas parcerias e reputação por onde passa. Atuando há mais de cinco anos no mercado, integra o quadro fixo de uma das maiores produtoras do país, e mais: comanda a produção deste filme que vos fala, A CASA CONECTADA.

Com um MBA em Economia Criativa pela FGV, está sempre em busca de projetos de caráter singular e conteúdo marcante, buscando a formação do grande público: Natasha quer causar reflexões e apresentar novas ideias. "Quero que A Casa Conectada seja o início de novas parcerias para a 3lhamas e a consolidação de parcerias antigas. Além, é claro, de continuar colocando a produtora no mapa dos festivais, como fizemos com o curta VHS, por exemplo", ela conta e completa: "Aguardem! Tem coisa boa vindo aí!".

Fique ligado no blog e conheça toda a equipe!

O que faz um produtor?



Se, conforme dissemos aqui, o diretor pode estar presente em todas as etapas de um filme, o produtor, então, é um ser onipresente. O produtor é quase uma divindade, o produtor é digno de meme - PODE ISSO, PRODUÇÃO? Faça um filme sem atores, mas não espere vê-lo finalizado dentro do orçamento sem alguém que tenha dom para a produção na sua equipe.

 Um produtor é, antes de tudo, muito organizado. Caso contrário, imagine coordenar tantas funções sem que todo o processo torne-se um caos: Desenvolver um roteiro, contratar a equipe, angariar fundos, lidar com o orçamento e com horários, garantir a distribuição do filme e promovê-lo. Adicione-se a isso o superpoder de ser invisível (não é a toa que a imagem ilustrativa deste post é de um produtor de alfaces, e não cinematográfico).

Além disto, existem vários cargos de produtor, e cada um se responsabiliza por diferentes aspectos do processo. O produtor chefe, por exemplo, digamos que ele seja "the boss". Como o próprio nome sugere, é ele quem dá a palavra final nas decisões e assuntos financeiros e legais. O executivo é responsável pelas preocupações financeiras (dá-lhe calculadora!), além de assegurar o roteiro; seu trabalho é auxiliado muitas vezes pelo produtor associado, uma espécie de anjo muito bom. Já o produtor de linha é aquele que cuida dos problemas que surgem durante a filmagem propriamente dita (e acredite, os problemas sempre surgem!). Para lhe ajudar com todos os pepinos, o co-produtor entra em ação, estando ele envolvido também com a produção criativa do filme.

Acompanhe o blog de A CASA CONECTADA para mais textos como esse!

Apresentando: Giulia Prates, diretora


Aos 24 anos, Giulia Prates já acumula experiência em diversos produtos diferentes: de curta-metragens a seriados de TV, passando inclusive por um clipe da banda carioca Venice. Vegetariana rumo ao veganismo, descobriu sua paixão pelo cinema já no final da graduação.

"Eu passei um tempo em cima do muro porque achei que minha escolha poderia ter sido influenciada pela minha mãe, que dirige documentários. Eu demorei para me decidir, mas hoje meu foco é totalmente em direção e assistente de direção, não faço nada além disso", ela conta.

Quando o assunto é A CASA CONECTADA, sua expectativa é participar de todos os festivais possíveis, para compartilha-lo com outros profissionais e públicos diferentes.

"Não tem nada melhor nessa vida do que fazer arte e compartilha-la com quem se interessa", ela diz, e revela: "Estou ansiosa pra gravar as cenas finais, quando o Gilmar..."

Bem, para saber o que acontece com o Gilmar, continue acompanhando o diário de produção de A CASA CONECTADA!

O que faz um diretor?


O diretor talvez seja a função mais glamourizada no cinema depois do ator, que sempre fica com todos os fãs e autógrafos. Se o próprio nome já não te dá uma pista do que ele faz, fique com a terminologia dos portugueses: Por lá, o diretor é chamado de "realizador". Independente do nome que você use, a função dele será a mesma. Sentado em sua icônica cadeira - aquela de madeira e tecido, desejada por todo estudante de cinema -, ele supervisiona e dirige a execução das filmagens. 

Enquanto algumas funções tem sua duração limitada, a do diretor vai desde a leitura do roteiro até o processamento do filme, após toda a sua edição e seguido da confecção do trailer. Pode-se dizer, portanto, que o diretor é uma das principais cabeças por trás da obra. 

Reunião para a definir a orientação artística? O diretor está presente. 
Direção dos atores em cena? Olha ele ali. 
 A produção está escolhendo locação? Adivinhe onde ele está. 

O diretor está em todas, sua responsabilidade vai muito além da função comumente considerada pelo público em geral, que é a direção de atores. E para estar apto a assumir tudo isso é preciso ser dinâmico, ter um amplo leque de conhecimentos, além de uma equipe de confiança. Em A CASA CONECTADA, os responsáveis pela direção são Joel Souza (que também assina o roteiro e já foi apresentado aqui) e Giulia Prates, que você vai conhecer na próxima quinta-feira.

Apresentando: Joel Souza, roteirista e diretor

Nós já contamos várias curiosidades sobre a profissão de roteirista (se você não viu, clique aqui), e agora chegou a hora de apresentar quem é o responsável pelo roteiro de A CASA CONECTADA: Senhoras e senhores, com vocês, Joel Souza!

É claro que a foto de apresentação seria com uma lhama de óculos

Aos 13 anos, o menino Joel assistiu a um filme muito ruim e pensou "Hm, dava pra fazer isso melhor". E então decidiu: Era isso o que queria fazer da vida. Contrariou conselhos e apostas, formou-se pela PUC-Rio e hoje já conta com mais de sete anos de carreira. Sua experiência caminha em todas as fases de produção audiovisual e nos mais diversos meios. Atualmente trabalha na produção de filmes publicitários e, nas horas vagas, se inspira para seus próprios projetos. Clique aqui e confira o portifolio completo!

Entre uma música e outra, talvez enquanto lê um livro ou bebe uma taça de vinho, a ideia surge e cozinha por um tempo na cabeça até que algo o faz sentar e escrever. No caso de "A Casa Conectada", por exemplo, este algo foi um show de Paul McCartney. Ele não tem medo de se arriscar em projetos independentes “no budget”, e não se deslumbra frente a grandes produções: aprendeu a se adaptar a todos os tipos de cenários orçamentários. Dessa forma, assumindo também a função de diretor (a qual divide com Giulia Prates), Joel reuniu uma equipe de confiança e prepara-se para as gravações.

"O principal objetivo desse projeto é fazer um filme que divirta tanto a equipe durante as filmagens quanto quem vier a assistir depois", ele diz, e revela: "Haverão vários momentos bacanas e que serão muito divertidos de filmar! Mas de todos eles, acho que o mais legal vai ser a final, quando acontece..."

Trecho censurado por motivos de spoiler! Mas não fique triste, acompanhe nosso diário de produção para conhecer a equipe completa e saber um pouquinho mais sobre a história!

Sobre roteiristas e Paul McCartney



A função de um roteirista é autoexplicativa: Ele escreve roteiros! De acordo com a lenda, o roteirista é uma pessoa geralmente antissocial, que quase nunca vê o sol e troca o dia pela noite debruçado sobre seu teclado e sua pilha de papeis - mas você não acredita em mula sem cabeça, né?

A verdade é que a maioria do que envolve uma cena precisa de um roteiro. Ele serve como guia, o ponto de partida para o filme, a peça teatral, a matéria jornalística, o vídeo do vlogueiro no youtube... É a partir do roteiro que toda a equipe se organiza - a primeira reunião, aliás, costuma ser uma leitura coletiva bem divertida. Os diretores visualizarão as cenas, atores construirão seus personagens, produtores pensarão nas locações, figurinistas pensarão nas roupas, e assim por diante.

Mas de onde vem a ideia de um roteiro? Eis a pergunta que certamente está entre as preferidas dos jornalistas em coletivas de imprensa: "Senhor, de onde surgiu a ideia para essa história?". O fato é que as respostas para esta pergunta nunca se esgotam. Sabem muito bem os filósofos que o campo das ideias é dark and full of terrors vasto. Um roteirista, enquanto profissional criativo, sabe-se lá de onde sua mente vai tirar aquele estalo de eureka! A grande ideia pode surgir enquanto se lê um livro, durante uma viagem de ônibus ou após um show do Paul McCartney. Pelo menos foi isso o que aconteceu com Joel Souza.

Em uma fatídica madrugada após o show do referido cantor, Joel teve seu sono perturbado. "A CASA CONECTADA" finalmente tomava forma. O que antes era apenas uma ideia com muitas pontas soltas agora finalmente se encaixava. "Resolvi escrever logo para não esquecer. Peguei o computador, e umas 3 horas depois eu tinha um argumento de 5 páginas com o filme inteiro, começo, meio e fim. Nem sei muito bem de onde veio tudo, simplesmente veio", ele conta.

Senhoras e senhores, com vocês, uma cena de "A Casa Conectada"!

A partir daí, bastou a insistência dos amigos para que o argumento se transformasse em roteiro: "Precisei que mais umas cinco pessoas o lessem e insistissem para que eu o escrevesse para eu finalmente criar essa disciplina de me sentar e escrevê-lo. Porque o mais importante ao escrever um roteiro é isso: Ter disciplina. Nenhuma história vai se escrever sozinha. Você pode até ter a ideia completa, mas depende da sua persistência em sentar a bunda na cadeira e escrever a história direito", conta Joel.

E para escrever um roteiro é preciso conhecer algumas ferramentas. Estudar, obviamente, é essencial. Uma rápida visita à sessão correta de bibliotecas ou livrarias já é o suficiente para revelar vários guias, e ler roteiros também é essencial (é possível encontrar alguns roteiros de filmes conhecidos na internet). Além disso, é preciso dominar a formatação: "Nenhum produtor que se preze vai dar atenção a um roteiro sem formatação. Para ajudar com isso, existem vários programas que já cuidam dessa parte. O mais famoso e mais antigo deles é o Final Draft, mas como ele é muito caro, o mais usado no meio independente é o Celtx, que em sua versão mais básica é de graça", Joel explica.

E você, tem alguma ideia para um roteiro? Acompanhe o diário de produção de "A Casa Conectada" e saiba muito mais!

Apresentando: a 3lhamas Produções

A partir da próxima semana você vai começar a conhecer um pouco mais das pessoas que integram a equipe de "A CASA CONECTADA", mas decidimos começar apresentando a produtora que vai tornar esse projeto possível: a 3lhamas Produções.


Fundada em 2013 no Rio de Janeiro, a 3lhamas Produções oferece serviços de consultoria, produção, pós-produção e colocação para os mais diversos produtos audiovisuais. Em seu comando estão Joel Souza e Natasha Santana, jovens cariocas com ampla formação e experiência no campo audiovisual. Juntos, eles somam centenas de horas de conteúdo em cinema, televisão e publicidade. A 3lhamas conta um número considerável de profissionais em sua rede de associados, qualificados nas áreas de roteiro, direção, edição, fotografia e captação de som, entre outras.

Ao longo do tempo, uma das principais especialidades da 3lhamas passou a ser a colocação de curtas-metragens independentes em festivais nacionais e internacionais: entre filmes de produção própria e projetos parceiros já estivemos presentes em dezenas de festivais espalhados por mais de dez países em cinco continentes. "A CASA CONECTADA" será o quinto curta-metragem desenvolvido e produzido pela nossa equipe e o primeiro desde o bem-sucedido "VHS - VICTOR HOME SYSTEM", de 2014. 

A direção será de Giulia Prates (do videoclipe "AGORA") e de Joel Souza (do curta "MÉNAGE À TROIS") e você será apresentado aos dois na próxima semana. As filmagens serão realizadas no segundo semestre de 2015, no Rio de Janeiro, e você poderá acompanhar tudo, da pré-produção ao lançamento, aqui neste blog. Então fique ligado, curta nossa página no Facebook e assine nosso feed de notícias para não perder nadinha!

Veja Mais

Apoio:



Nossos Trailers: