O que faz um produtor de arte?



Eis uma função teoricamente autoexplicativa, mas que confunde a maioria das pessoas que não são do meio cinematográfico: Afinal, o que um produtor de arte poderia fazer a não ser produzir arte, não é mesmo?

Trabalhando em conjunto principalmente com o diretor de arte, o produtor faz com que toda a parte visual aconteça. Depois de muita pesquisa direcionada para o assunto do qual a obra lida, o produtor de arte põe a mão na massa (muitas vezes literalmente). Se no filme aparecem marcas fictícias, por exemplo, é ele quem cria os outdoors. 

No caso específico de A CASA CONECTADA, o produtor de arte precisará criar todo um universo futurístico: novos conceitos de decoração, objetos de cena, objetos pessoais dos personagens, além de definir como tudo isto conversa entre si na montagem do cenário. Resumindo: um trabalho e tanto!

E aí, ficou curioso para conhecer nossos produtores de arte? Então fique ligado aqui no blog!

Apresentando: Amanda Castro, figurinista


Quem vê esse sorriso da Amanda, não imagina os perrengues pelos quais ela já passou. Porque produtor, senhoras e senhores, é uma função quase sinônima de "solucionador de problemas"! E nisso a Amanda tem experiência de sobra: Já passou por novelas, séries e minisséries. Mas em A CASA CONECTADA ela assume outro talento, o de figurinista.

Já foram mais de 10 projetos independentes e 8 comerciais de alcance nacional como figurinista. Ou seja, unindo as experiências que tem nas duas áreas, não temos dúvidas de que nosso figurino será derrubador de forninhos. 

"A Casa Conectada é um desafio, porque estou precisando projetar como será o futuro. Minha ideia é mesclar o clean moderno com referências mais alegres, criando, através da vestimenta, algo que traduza a personalidade dos personagens", ela conta. Que levante todos os dedos quem ficou curioso!

Acompanhe o nosso blog para conhecer toda a equipe!

O que faz um figurinista?



Se quando eu digo “figurinista" você pensa em variantes de “blogueira de moda”, preciso te dizer enfaticamente que você está muito enganado! Embora uma (ou um) figurinista esteja obviamente ligado ao cenário da moda, seus conhecimentos vão muito, muito, muito mais além (muito mesmo!).

Para você ter uma ideia, o trabalho do figurinista envolve um trabalho intenso de pesquisa, principalmente quando o filme (ou peça teatral, novela ou o que for) se passa há décadas de distância. Aliás, nem é preciso se distanciar temporalmente: as diferenças sociais e geográficas também requerem muita observação.

E após o trabalho árduo de pesquisa vem a criação - porque sim, o figurinista é uma intensa mente criativa, capaz de criar modelitos ou de garimpar as peças mais fantásticas em lojas e brechós. E, é claro, por tratar de assuntos visuais, seu trabalho sempre conversa com a direção de arte, é claro.

Se você vem acompanhando o blog de A CASA CONECTADA, já sabe que o próximo post apresentará a nossa figurinista. Fique ligado e descubra!

Você sabe o que é CROWDFUNDING?

Crowdfunding. Em tradução literal: financiamento da multidão. 
Mais conhecido, porém, como financiamento coletivo ou colaborativo.


O crowdfunding é uma forma de financiamento de projetos em que vários indivíduos contribuem com pequenos investimentos para que determinada ideia se torne realidade. Geralmente essas contribuições são feitas pela internet e os investidores recebem uma "recompensa" proporcional ao valor da colaboração. O financiamento coletivo tem se tornado extremamente popular e bem sucedido nos últimos anos, já sendo considerado por alguns economistas como o principal modelo de investimento do futuro.

Fonte: Forbes

Existem inúmeros exemplos de projetos de sucesso financiados através de crowdfunding nas mais diversas áreas, como o smartwatch Pebble, que se aproveitou do modelo para desenvolver seu último produto, o longa-metragem "Wish I Was Here", escrito e dirigido por Zach Braff, e, com mais destaque, o capacete de realidade virtual da Oculus Rift, que pediu US$ 250.00,00 para seu desenvolvimento mas arrecadou quase dez vezes esse valor e acabou sendo vendida para o Facebook por dois bilhões de dólares (pois é).


No mundo inteiro este modelo tem se tornado popular entre cineastas independentes para realizar seus projetos, especialmente no Brasil onde são virtualmente inexistentes formas de financiamento audiovisual sem a utilização dos complexos mecanismos dos editais públicos ou das leis de incentivo à cultura. Com A CASA CONECTADA não será diferente. Nós esperamos poder contar com a sua ajuda para arrecadar uma parte do dinheiro necessário para tirar nosso filme do papel e colocar nas telonas, e estamos planejando recompensar muito bem a todos os nossos colaboradores!


Existem dezenas de plataformas de crowdfunding mundo afora e a escolhida pela 3lhamas foi a Benfeitoria. Nas próximas semanas vamos falar um pouquinho mais sobre eles e, mais especialmente, sobre os motivos que nos levaram a escolher esse tipo de financiamento e esta plataforma dentre tantas outras para nosso projeto. Mas, enquanto isso, você já pode conferir as recompensas disponíveis e até enviar sua colaboração acessando benfeitoria.com/acasaconectada.

Apresentando: Natália Bittencourt, diretora de arte


O primeiro longa-metragem a gente nunca esquece. No caso de Natália Bittencourt (ou Pirulita, para os íntimos), sua primeira vez foi em 2014, em um filme cuja estreia nacional está prevista para o final de 2016. Sua função, é claro, foi sua paixão: "Direção de arte e production design, que é praticamente a mesma coisa no Brasil, mas não no mundo", ela explica. 

 Formada em 2011 pela UNESA, seu primeiro trabalho como production designer foi em uma série musical de TV que agora passa pela pós-produção. Como diretora de arte, seu currículo é ainda mais extenso, com destaque para a indicação de melhor na categoria no Boston International Film Festival em 2013. 

"Eu imagino A CASA CONECTADA como uma breve brincadeira de pensar no futuro e pensar em tecnologias, então creio que o filme atingirá um publico amplo e curioso. Sei lá, acho que ele vai para festivais e vai divertir as pessoas!", ela fala, animada. 

E aí, preparados para conhecer toda a equipe? Fique ligado aqui no blog!

O que faz um diretor de arte?



"Tudo o que você vê na tela, enquadrado pela câmera, é direção de arte". Quem explica é a cineasta brasileira Lina Chamie. Um diretor de arte está para os elementos visuais de uma cena assim como um maestro está para uma orquestra. É preciso coordenar e harmonizar tais elementos, uma tarefa complexa que envolve muita pesquisa.

Um diretor de arte está sempre em constante estudo e aprendizado. Não se espante se, durante uma conversa de bar, ele puxar um assunto trivial como a história da arte e fotografia - super normal! E se você quiser ir mais a fundo, pergunte-o sobre técnicas de iluminação e construção de cenário. Seu diretor de arte certamente saberá sobre estas coisas. Afinal, todo esse conhecimento tem enorme serventia na hora de gerenciar os outros profissionais envolvidos e calcular os custos para produzir tudo isso. 

Que tal conhecer a diretora de arte de A CASA CONECTADA? Fique ligado aqui no blog!

Apresentando: Manuela Pinheiro, assistente de produção


Alguém que tira foto abraçando uma vaca só pode ser muito legal. E, de fato, sua mensagem, que ela insiste em escrever em maiúsculas, confirma isso: "FAÇA AMOR, NÃO FAÇA GUERRA!" Senhoras e senhores, com vocês: Manuela Pinheiro (ou Manu, para os mais chegados), assistente de produção de A CASA CONECTADA!

Ela, que trabalha com produção audiovisual há 5 anos entre produtoras gringas e brasileiras, hoje divide a função de assistente junto com o Luiz, que já foi apresentado aqui. "Trabalho com o Joel Souza há quase 2 anos, então minhas expectativas para o filme são muito boas! Vai ficar foda com certeza!", ela diz.

Fique ligado aqui no blog e conheça toda a equipe que está ralando muito pelo filme!

Apresentando: Luiz Carlos Rocha, assistente de produção


Você já sabe o que faz um assistente de produção, e agora chegou o momento de conhecer os mais sensacionais de todos! Luiz Carlos Rocha é um deles. Ainda cursando a faculdade de Cinema na PUC-Rio, ele já estagiou em diversas produções publicitárias de renome. Em A CASA CONECTADA, ele exerce uma das funções que mais precisam de energético em um set de cinema: a de assistente de produção. 

"Espero que o filme tenha uma boa repercussão. É um trabalho coletivo, feito com empenho, esmero. Além de tratar uma problemática que está cada vez mais próxima da nossa realidade: a artificialização das funções básicas do dia a dia", ele conta, e complementa: "Espero que vocês curtam o filme. Foi feito com muito carinho e dedicação".

E aí, já se sente íntimo do Luiz? Fique ligado aqui no blog para conhecer toda a equipe!

O que faz um assistente de produção?


Até um filme chegar ao público, saiba que muita coisa antes aconteceu. Muita coisa mesmo, e muitas delas simultâneas. É aí que o assistente de produção entra em luz, câmera, ação! Ele é um dos grandes responsáveis por não deixar que tudo vire um completo caos. Geralmente sob o comando do primeiro assistente de direção, o assistente de produção fica encarregado de fazer a ponte entre todas as equipes envolvidas. E que atire a primeira pedra aquele que nunca catou um objeto para o pessoal da arte!

Por isso, para ser assistente de produção é preciso muita energia, sagacidade e malemolência. A tinta acabou, a lâmpada queimou? Lá vai ele comprar. O ator precisa de transporte? Ele resolve. Precisamos de um pombo treinado? O assistente sempre consegue. Bem, nem sempre, mas os d'A CASA CONECTADA são mestres! Dotados do dom de MacGyver, eles são imprescindíveis para a equipe.

Fique ligado aqui no blog para conhecê-los!

O grande dia de Análise Técnica


"O grande dia de análise técnica" é, de fato, um grande dia: Começa cedo e acaba tarde, muitas vezes se divide em dois, mas está sempre regado a muita bebida e comida, obviamente de acordo com a preferência da equipe. No caso de A CASA CONECTADA, por exemplo, o menu consistiu em duas pizzas, refrigerante, muita água e 2 litros de café. Está servido?

Quando alguém de cinema menciona "análise técnica", ele se refere a uma reunião entre os chefes de todos os departamentos envolvidos na produção de um filme. E o que eles fazem durante tanto tempo? Debruçam-se sobre suas planilhas e organogramas, trocam ideias e informações, tudo para minimizar quaisquer imprevistos (que afinal sempre acontecem, mas quanto menores eles forem, melhor).

Daí você entende a importância de uma análise técnica. Com ela é possível saber exatamente quanto o filme custará em tempo e dinheiro. Que comparece a uma reunião dessas, certamente verá tabelas e mais tabelas com listas de todos os itens de cenário e figurino, equipamentos, objetos que serão utilizados nas cenas e atores - isto para cada plano do filme! E geralmente acontece assim: Cada equipe organiza sua própria tabelinha e a produção se encarrega de casar todas as informações, criando assim uma tabela maior, a mãe de todas as tabelas, com a qual definirá o cronograma.

E, bem, a reunião de análise técnica de A Casa Conectada já foi realizada. Fique ligado no diário de produção do filme para saber de todos os detalhes (ou pelo menos todos os detalhes que não apresentam spoilers, porque ninguém merece spoilers, não é mesmo?).

Veja Mais

Apoio:



Nossos Trailers: